Paulo Faria

Este é um artigo ou crônica pessoal de Paulo Faria.
Não se trata de uma reportagem ou opinião do Portal Espera Feliz.

Redação do Enem 2019 e o coro dos descontentes

Deve ser uma tortura para um aluno do Ensino Médio tentar juntar as palavras “democracia” e “cinema” e redigir um texto de 30 linhas com uma argumentação minimamente coesa se a vida inteira ele aprendeu na escola um conceito torto sobre democracia e nada sobre cinema.

Já não é nenhuma surpresa que a cada edição do Exame Nacional do Ensino Médio seja envolvida em polêmica, e isso não seria diferente em 2019. E as polêmicas sempre giram em torno de questões supostamente “ideológicas” ou do tema da redação que entra ano e sai ano é sempre considerada por muitos alunos e professores como “difícil”, “irrelevante” ou “inesperado”; mas neste ano tivemos um ingrediente a mais: como agora o Brasil vive sob a égide de um governo “fascista”, qualquer tema que caísse despertaria sem a menor sombra de dúvida a ira cacofônica dos insatisfeitos.

Mas afinal, há alguma coisa de errado com o tema “Democratização do acesso ao cinema no Brasil”? Nada. Zero. Pelo contrário, o tema é muito interessante e relativamente fácil se comparado ao tema exposto em 2018: “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”.

É clichê, mas o óbvio e o que muitos teimam em ignorar é que o problema está, na verdade, no nosso maravilhoso sistema de ensino público, pois vamos combinar: deve ser uma tortura para um aluno do Ensino Médio tentar juntar as palavras “democracia” e “cinema” e redigir um texto de 30 linhas com uma argumentação minimamente coesa  se a vida inteira ele aprendeu na escola um conceito torto sobre democracia e nada sobre cinema.

Por isso, não é de se estranhar que milhares de jovens que têm no currículo apenas textos lacradores do Quebrando o Tabu, Catraca Livre e Gregório Duvivier tenham se surpreendido com o tema ou encontrado dificuldade. É só a matemática da obviedade batendo à porta.

Engana-se quem pensa que esse é um drama que acomete apenas alunos do Ensino Médio. Não é. Sem generalizações, basta visitar uma sala de aula de uma turma de Humanas, principalmente História e Sociologia, e perguntar o que é Nouvelle Vague, Cinema Novo, Boca do Lixo e quem é Truffaut. É bem provável que alguém responda respectivamente que se trata de sinônimos de novelo e tela nova, uma música da Sandra de Sá e uma palavra em francês pra designar ‘trufas’. E se tragédia pouca é bobagem, o restante que vocifera enfaticamente que o tema do Enem de 2019 “não tem profundidade” ou não cumpriu seu “papel social” faz parte da galeria dos que entoam o coro dos descontentes sobre qualquer coisa ou movimento que o atual governo faça. Já que para estes não existe salvação só resta esperar pelo choro coletivo do ano que vem.

Por Paulo Faria.

Sobre Paulo Faria

Paulo Faria tem um montão de anos, é um amante do cinema de horror, rock ‘n’ roll e das artes em geral. É professor por formação, humorista por conveniência, músico por obsessão e escritor por aspiração.


Chuvas

Chuvas causam alagamentos em Espera Feliz e região

Rios transbordaram e várias ruas foram alagadas.

Paulo Faria

O politicamente incorreto na TV brasileira nos anos 80 e 90

Houve um tempo em que nossos canais de TV eram os principais veículos de comunicação. Foi um tempo em que o limite era não ter limites e isso nos presenteou com programas épicos, cenas clássicas e momentos “absurdos”.

Pricila Magro

Por trás da capa vermelha

Não importa a história da Chapeuzinho que você vier a ler, o Lobo Mau não é ovacionado, ou transformado em celebridade.

Farley Rocha

E aííííí?!

Em meio à boemia de cidade pequena, sua presença nos cativa o mesmo efeito de uma joia rara.

Política

Deputados fazem protesto sentados em rodovia de Carangola

André Janones e Cleitinho Azevedo cobram DER por rodovia afundando.

Paulo Faria

A Hipocrisia do Ativista

O ativista é um pé no saco politicamente correto.

Farley Rocha

Crônica de Ano Novo

Da descoberta primitiva do fogo à invenção sofisticada da pólvora, é o tempo o senhor dos homens e do universo.

Publieditorial

VALE APENA: um novo conceito em padaria em Espera Feliz

Ambiente para quem procura produtos de alta qualidade, conforto, bom atendimento e requinte.

Farley Rocha

O amigo que se vai

O amigo que se vai nos deixa muito mais que uma palavra, uma história ou um aperto de mãos.

  • Plano Assistencial Familiar Vida

    Rua João Alves de Barros, 277
    Centro - Espera Feliz - MG

    (32)3746-1431

    Plantões
    (32) 98414-4438 / (32) 98414-4440

Clique aqui e veja mais

Portal Espera Feliz