Paulo Faria

Este é um artigo ou crônica pessoal de Paulo Faria.
Não se trata de uma reportagem ou opinião do Portal Espera Feliz.

O Brasil e sua semana à la Mad Max

O Brasil é uma panela de pressão e como já é sabido, as rupturas ocorrem sempre depois de um colapso social.

Publicado em 29/05/2018 - 10:19    |    Última atualização: 29/05/2018 - 10:19
 

Duas imagens hoje me chamaram a atenção. A primeira, que ilustra este artigo, é de um posto de combustíveis situado na cidade de Caiana, MG, o qual demonstra de forma literal o retrato da grave crise institucional e econômica que atravessa o País. A melancolia dessa imagem fala por si só. A outra imagem: uma manifestação pacífica e democraticamente legítima no centro da cidade de Espera Feliz, que entre outras reivindicações, pedia a intervenção militar.

A impressão que tive hoje, na pior das hipóteses, é que os caminhoneiros desnudaram o Brasil nos apresentando um ensaio para o pós-apocalipse nos moldes do que foi retratado no filme Mad Max, com Mel Gibson. Na melhor, foi só uma amostra grátis de Venezuela.
A questão é que o Brasil chegou ao meio do poço (o fundo é um pouco mais embaixo, pode apostar), e este sentimento de desencanto do povo brasileiro que tem sido roubado sem cerimônia somado à falência econômica do Estado fez aflorar os sentimentos contidos nas duas imagens que citei.

O Brasil é uma panela de pressão e como já é sabido, as rupturas ocorrem sempre depois de um colapso social.

Ponto 1: Temos um cadáver político no governo sob a imagem do presidente Temer que só falta ser enterrado. Este governo que já nasceu podre, embora tenha legitimidade constitucional, não tem autoridade moral pra fazer qualquer pacto com a sociedade nem propor alternativas que aliviem o sofrimento do brasileiro. O sentimento geral que tenho notado é de mau humor e angustia diante da impotência de quem não pode fazer nada. Para uns, intervenção militar já!, para outros, Lula livre!

Ponto 2: Apesar de tudo, me parece que nós brasileiros não aprendemos com a História; estamos insistindo nos mesmos erros do passado no afã de tentar resolver nossos problemas que são graves, sim. Já tivemos uma ditadura militar e deu no que deu. Os nostálgicos e românticos que pedem uma intervenção militar parecem não saber que até as liberdades individuais (inclusive, a de se manifestar) são coibidas. Portanto, ditadura é ditadura e ponto; e embora o direito às manifestações pedindo que os militares assumam o poder seja resguardado, o fato é que lugar de militar é no quartel e nas ruas protegendo o cidadão.

Ponto 3: Para outros, a solução é a volta do homem providencial, do Messias, do populismo cafajeste que empurrou o Brasil para este caos que o presidente Vampiro está fazendo muita força pra piorar. Quanto a isso, dispensa comentários.

Concluindo: A radicalização de uma parte da sociedade somado às paixões ideológicas de outra não estão contribuindo em nada para livrar o Brasil à chegada do fundo do poço. O que o País precisa é de um projeto de governo onde a grande maioria seja protagonista da mudança. Ou a sociedade brasileira assume um pacto entre si, esquecendo as diferenças ideológicas, ou teremos melancolicamente um pouco mais de Mad Max nos próximos capítulos….

Por Paulo Faria.

Sobre Paulo Faria

Paulo Faria é um amante do cinema de horror e rock ‘n’ roll. É professor por formação, humorista por conveniência e escritor por aspiração.


  • Plano Assistencial Familiar Vida

    Rua João Alves de Barros, 277
    Centro - Espera Feliz - MG

    (32)3746-1431

    Plantões
    (32) 98414-4438 / (32) 98414-4440

Clique aqui e veja mais