Enrique Natalino

Este é um artigo ou crônica pessoal de Enrique Natalino.
Não se trata de uma reportagem ou opinião do Portal Espera Feliz.

Redes sociais em tempos de pandemia

A população está preparada para lidar com esse mundo digital? Sabe distinguir notícias e análises aprofundadas de Fake News?

Publicado em 26/03/2020 - 19:44    |    Última atualização: 26/03/2020 - 19:44

Num mundo que luta diariamente contra a pandemia do coronavírus em todos os continentes e, particularmente, num país como o nosso que se prepara para enfrentar o maior desafio deste século, as redes sociais são um instrumento fundamental para a divulgação de informações úteis e o compartilhamento de boas análises para a população. O que escrevemos deve estar investido, portanto, de bom senso e responsabilidade.

Ao aceitar o título de Doutor Ho­noris Causa em Comu­ni­cação e Cultura na U­ni­versidade de Turim, em 2015, o es­critor italiano Umberto Eco (1932-2016) disse: “As mí­dias sociais deram o direito à fala a legiões de imbecis que, anteriormente, falavam só no bar, depois de uma taça de vinho, sem causar dano à coletividade. Diziam imediatamente a eles para calar a boca, enquanto agora eles têm o mesmo direito à fala que um ganhador do Prêmio Nobel”.

Umberto Eco foi um dos maiores especialistas em semiótica e um dos mais renomados intelectuais italianos do século XX. Sua percepção do poder das mídias sociais no mundo de hoje ganhou uma dramaticidade ainda maior com a vitória de Donald Trump nas eleições dos EUA em 2016.

Com a força do Twitter, um bilionário fanfarrão venceu as eleições presidenciais atacando as instituições e a ciência em uma das democracias mais antigas do planeta. Com o contato direto entre o líder de massas e seus seguidores, via redes sociais, narrativas como a de que a Terra é plana tornam-se verdades absolutas para alguns grupos. O uso que líderes populistas dão para as redes sociais, confundindo uma bolha de fanáticos com toda a pluralidade da sociedade, mostra que a arena política também se nutre da combinação entre elevada conexão à internet e escolarização deficiente.

As tentações totalitárias voltam a rondar as nossas democracias latino-americanas com o enorme poder proporcionado pela comunicação direta, sem intermediários, entre líderes e seguidores num continente com tradições autoritárias e caudilhescas. Líderes demagógicos usam da liberdade de opinião para destruir as bases de uma sociedade plural. Em países em que a elevada taxa de conexão da população à internet convive com baixas taxas de escolaridade, qualidade de ensino sofrível, índices baixíssimos de leitura, fraca tradição cidadã e pouca valorização da Educação, da Ciência e da Cultura, as redes sociais trazem desafios igualmente problemáticos.

A professora e historiadora Carmen Lícia Palazzo resumiu com muita propriedade o que isso significa em um país como o nosso:  “Tão ruim para o Brasil quanto este vírus terrível é o espaço que vão tomando os medíocres, os mal-intencionados, os frustrados. São pessoas que se travestem de um tênue véu de credibilidade para engrossar o bloco dos que passaram a se sentir importantes a partir do momento em que começaram a integrar um grupo que faz da internet a sua voz, tendo como guia uma personalidade tosca, torpe, doentia que nos governa”.

Em uma sociedade aberta e globalizada, a ética nas redes sociais deveria ser objeto de disciplina escolar e de letramento digital, tanto quanto o Português, a Matemática, a História e as Ciências. Até os governos se comunicam com cidadãos e divulgam suas políticas sociais por meio das redes sociais. A capilaridade e a instantaneidade do mundo digital o fazem invadir a intimidade de nossos lares todos os dias, do nascer ao pôr do sol. Em um momento no qual precisamos enfrentar juntos o maior desafio de saúde pública da história brasileira, o acesso à internet torna possível acessar informações, trabalhar à distância e o manter o contato diário com familiares, amigos, colegas e entes queridos. A população está preparada para lidar com esse mundo digital? Sabe distinguir notícias e análises aprofundadas de Fake News? Certamente temos desafios imensos a galgar, sobretudo em função das desigualdades sociais e educacionais que atravessam gerações.

A maior vantagem da internet é levar todo o estoque de conhecimento disponível no mundo até a comodidade dos nossos lares. Como diria o educador mineiro Darcy Ribeiro (1921-1997), fundador da Universidade de Brasília: “Trate de aprender tudo o que puder. Saber demais não ocupa lugar. Ignorância, sim. A sabedoria anda solta por aí para a gente aprender o que quiser”.

Por Enrique Carlos Natalino.

Sobre Enrique Natalino

Enrique Carlos Natalino é doutorando em Ciência Política na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e mestre em Administração Pública pela Escola de Governo da Fundação João Pinheiro. É graduado em Direito na Universidade de São Paulo (USP). É professor-colaborador do Instituto de Ciências Econômicas e Gerenciais da PUC-Minas. Foi pesquisador-visitante do German Institute of Global and Area Studies (GIGA), na Alemanha. Co-edita o blog de Política Internacional Fora da Cadência (www.foradacadencia.com).


Coronavírus

Prefeitura de Espera Feliz libera abertura do comércio

Decreto manteve restrições somente para alguns tipos específicos de negócios.

Enrique Natalino

Redes sociais em tempos de pandemia

A população está preparada para lidar com esse mundo digital? Sabe distinguir notícias e análises aprofundadas de Fake News?

Farley Rocha

25 coisas para se fazer na quarentena

Em termos biológicos, cada vitória conquistada sobre uma doença é um degrau a mais que alçamos no templo da evolução.

Sylvia Dimittria

Uma pausa forçada à sociedade do cansaço

O homem que se transformou numa máquina de performance teve que mudar o modus operandi.

Coronavírus

Espera Feliz tem primeiro caso suspeito de Coronavírus

Informação foi confirmada pela Secretária Municipal de Saúde.

Coronavírus

Editorial: as reais dimensões da crise do coronavírus

Neste momento, é vital estarmos todos bem informados e passando informações corretas a diante.

Coronavírus

Espera Feliz ainda não registrou casos suspeitos de Covid-19

Secretaria Municipal de Saúde ainda não registrou nenhuma ocorrência de caso suspeito.

Coronavírus

Coronavírus: Espera Feliz restringe comércios e suspende circulação de ônibus na cidade

Decreto municipal traz inúmeras determinações para tentar conter a transmissão do Coronavírus.

  • Plano Assistencial Familiar Vida

    Rua João Alves de Barros, 277
    Centro - Espera Feliz - MG

    (32)3746-1431

    Plantões
    (32) 98414-4438 / (32) 98414-4440

Clique aqui e veja mais

Portal Espera Feliz