Assinado decreto que estadualizou a faculdade de Carangola

A solenidade aconteceu neste sábado (30), em Ibirité – Região Metropolitana de Belo Horizonte

Publicado em 05/12/2013 - 12:32    |    Última atualização: 10/12/2013 - 15:03
 

Foi assinado pelo governador Antonio Anastasia quatro decretos que ampliarão o número de vagas e o acesso gratuito aos cursos do ensino superior no Estado. A solenidade aconteceu neste sábado (30), em Ibirité – Região Metropolitana de Belo Horizonte. O primeiro deles autorizou a incorporação dos cursos de ensino superior mantidos pela Fundação Helena Antipoff (FHA), em Ibirité, à estrutura da Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg). Os demais foram de estadualização de três fundações educacionais mineiras: a Fundação Cultural Campanha da Princesa, de Campanha (Sul de Minas); Fundação Fafile de Carangola (Zona da Mata) e Fundação Universitária do Vale do Jequitinhonha (Fevale), de Diamantina.

Durante pronunciamento, na sede da Fundação Helena Antipoff e em videoconferência simultânea com os municípios de Campanha, Carangola e Diamantina, o governador ressaltou a importância do compromisso cumprido. “Este é um compromisso assumido e cumprido, que é a estadualização das seis fundações ligadas à Uemg. Carangola, Campanha e de Diamantina, essas três fundações passam a ter seus cursos incorporados à Uemg, passando a ser ensino público, superior, gratuito e de qualidade, com a chancela da Universidade do Estado de Minas Gerais. Esse momento será concluído com grande êxito, no início do ano que vem, no primeiro semestre, quando fizermos também a estadualização das três demais fundações, em Passos, Ituiutaba e Divinópolis, completando este processo”, disse o governador.

Momento da assinatura do decreto, via videoconferência.Em Carangola alunos, professores, autoridades e pessoas da comunidade lotaram o salão da Favale para acompanhar o pronunciamento e a assinatura do decreto que estadualizou a Fundação Fafile. Braz Cosenza, presidente da Fundação agradeceu ao governador e destacou o desejo destes 25 anos de tornar Carangola um Campus Uemg.

Ficarão transferidos automaticamente para a Uemg todos os alunos que, na data de publicação do decreto, estejam regularmente matriculados nas fundações, assegurando-lhes o ensino público e gratuito. Serão beneficiados cerca de 2 mil alunos das três cidades que foram incorporadas no sábado, já que ficarão isentos de mensalidade para estudar.

“Estamos tirando a Uemg de uma posição de faculdade que tem 5.700 alunos para saltar, até o final de 2014, para 18 mil alunos, se transformando na terceira maior universidade pública de Minas Gerais. E o mais importante, a preocupação de que esse crescimento quantitativo, que é expressivo, seja também acompanhado pelo crescimento qualitativo”, destacou o deputado federal Narcio Rodrigues, secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

A ampliação total da Uemg se dará em um prazo de 18 meses, conforme determina a Lei 20.807, que autoriza o processo de absorção pela Uemg, após a conclusão da estadualização de todas as fundações, como também a reestruturação de toda a universidade, contribuindo para que ela se consolide como uma das maiores instituições de ensino superior de Minas. Com o processo de ampliação do acesso à Uemg, nessa primeira etapa, o número de alunos deve saltar dos atuais 5,7 mil para mais de 8,3 mil estudantes. O número de cursos de graduação oferecidos saltará de 32 para 112, e o de professores subirá de 853 para 1.000.

Salão da Favale recebeu pessoas da cominudade, autoridades políticas, alunos, ex alunos e professores para assistir à transmissão.A cerimônia de assinatura contou com a presença do presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputado Dinis Pinheiro; da secretária de Estado de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena; do secretário interino de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, professor Evaldo Vilela; reitor da UEMG, Dijon Moraes; reitor da Unimontes, João dos Reis Canel; prefeito de Ibirité, Pinheirinho; além de deputados, docentes e outras autoridades.

Fundações estadualizadas

Fundação Educacional Campanha da Princesa (FCCP) – oferece os cursos de História, Pedagogia e Superior Técnico em Processos Gerenciais. Com 108 alunos, conta com 24 professores e 19 funcionários administrativos.

Fundação Fafile de Carangola (Fafile) – oferece os cursos de Administração, Ciências Biológicas, Geografia, História, Letras, Matemática, Pedagogia e Serviço Social. São 544 alunos, 89 professores e 52 funcionários administrativos.

Fundação Educacional do Vale do Jequitinhonha (Fevale) – oferece o curso de Direito, tendo 337 alunos, 22 professores e 33 funcionários administrativos.
Em 2014, serão estadualizadas a Fundação Educacional de Divinópolis (Funedi), a Fundação Educacional de Ituiutaba (Feit) e a Fundação de Ensino Superior de Passos (Fesp).

Fonte: Tribuna do Leste


  • Plano Assistencial Familiar Vida

    Rua João Alves de Barros, 277
    Centro - Espera Feliz - MG

    (32)3746-1431

    Plantões
    (32) 98414-4438 / (32) 98414-4440

Clique aqui e veja mais