Farley Rocha

Este é um artigo ou crônica pessoal de Farley Rocha.
Não se trata de uma reportagem ou opinião do Portal Espera Feliz.

Ainda sobre as prosas da cidade

Para nossa satisfação, o resultado saiu melhor que o esperado.

Publicado em 21/08/2019 - 14:51    |    Última atualização: 21/08/2019 - 14:51

Desde que surgiu meu interesse por leitura, a partir dos livros da Série Vaga-lume que conheci na 5ª série até os clássicos que estudei na faculdade de Letras, sonhei em ver na minha cidade eventos culturais que promovessem a literatura. Mas quando muito, vi apenas esporádicos lançamentos de livros de alguns autores locais que, invencivelmente, militam para o bem da nossa cultura.

Ao contrário do que se imagina, tal escassez não foi motivo para lamentações. Mas serviu de inspiração para que nós mesmos, professores e demais pessoas ligadas à literatura, promovêssemos nossos próprios movimentos.

Assim nasceu o projeto “Prosas da Cidade – Olhares Narrativos Sobre Espera Feliz e Região”.

Ainda que de forma despretensiosa, convidei escritores conterrâneos para participarem do projeto e todos, movidos por um entusiasmo igual ou maior que o meu, aceitaram prontamente o desafio. Para nossa satisfação, o resultado saiu melhor que o esperado.

Como a ideia era que cada um produzisse um conto de ficção ambientado na cidade ou na região de Espera Feliz, conseguimos reunir histórias incrivelmente belas, inspiradas em cenários, localidades rurais e urbanas, ruas e pessoas de nossa cidade. A partir de 13 produções, a sensação foi a de que o leitor estivesse descobrindo uma outra Espera Feliz através do olhar criativo de cada autor, não apenas pelas narrativas, mas também pelas fotografias exclusivas que ilustraram cada texto.

Por isso, respaldado pelo reconhecimento do público, o projeto Prosas da Cidade preencheu a lacuna de manifestações culturais que tanto nos faz falta. E você, leitor, que nos acompanhou durante as sete semanas de publicação dos contos no site Portal Espera Feliz, foi o principal participante deste trabalho.

*  *  *

Pode não parecer, mas Espera Feliz possui uma longa tradição literária.

No passado e no presente, há autores locais que, de forma discreta, sempre fortaleceram a nossa cultura. É o caso de Ayrton Oliveira, um ex-fotógrafo que residiu por aqui e durante muitos anos escreveu crônicas para o jornal O Esperafelicense sobre Espera Feliz dos tempos antigos. No mesmo jornal, também publicam textos sobre o mesmo tema autores como Paulo Roberto de Souza (Bonaite) e Hélio Bilheiro.

Na poesia, temos o trabalho anônimo de Pedro Heitor, que sempre anda com seu caderno de manuscritos com centenas de poemas sobre todos os temas; a já falecida Dona Ilenir Ferreira, que ao longo de seus noventa anos de vida produziu diversos poemas sobre Espera Feliz; Edimilson G. Cruz, que tem um livro publicado com seus versos filosóficos e existenciais; e, como poeta maior, há a obra de Juarez de Oliveira, que já escreveu dezenas de livros cujos temas remetem a nossa cidade. Mais recentemente, está para ser publicado o primeiro livro de N. C. de Amorim, um poeta regresso depois de viver 50 anos no Rio de Janeiro.

E agora, com a realização do Prosas da Cidade, que contou com a participação dos experientes autores Rossano Sobrinho, José Fernandes e Amauri Adolfo, outros novos talentos foram descobertos, os mesmos que darão sequência à tradição literária de Espera Feliz.

Sobre Farley Rocha

Farley Rocha é professor, fã do Radiohead e do Seu Madruga. Já plantou uma árvore, escreveu um livro e edita o blog http://palavraleste.blogspot.com


  • Plano Assistencial Familiar Vida

    Rua João Alves de Barros, 277
    Centro - Espera Feliz - MG

    (32)3746-1431

    Plantões
    (32) 98414-4438 / (32) 98414-4440

Clique aqui e veja mais