Farley Rocha

Este é um artigo ou crônica pessoal de Farley Rocha.
Não se trata de uma reportagem ou opinião do Portal Espera Feliz.

3ª Dimensão

A Boate 3ª Dimensão preencheu a lacuna dos embalos esperafelicenses de sábado à noite.

Foto da porta de entrada da 3ª Dimensão em março de 2005.

Há vinte anos o esquadrejamento da cidade era diferente do que é hoje. Estabelecimentos comerciais se aglomeravam mais ao centro e as ruas adjacentes eram praticamente residenciais. Até a dinâmica da noite esperafelicense tinha outra configuração. O ponto de encontro para curtir grandes ou pequenas farras era sempre o Calçadão, única área boêmia de Espera Feliz até então. E é por este cenário de fim de século XX que a crônica passeia.

O ano era 1998 e o endereço era a Praça Dr. José Augusto, na rua à direita da Prefeitura Municipal. Em um sábado de outubro, nos fundos de um prédio onde há muito funcionou uma corretora de café – que depois virou marcenaria e hoje é um lojão de roupas no varejo – inaugurava uma boate cuja atmosfera psicodélica fazia jus ao nome que recebera: “3ª Dimensão”.

Em noites de baile – como eram chamados os rocks daquele tempo – a concentração no Calçadão durava até por volta das onze da noite, horário em que a portaria da 3D começava a receber as pessoas. Ao lado da bilheteria, onde dois brutamontes vigiavam a entrada, uma cortina de tecido escuro separava a parte externa da boate e sua pista de dança. O interior tinha o formato de um cubo gigante, com paredes e teto revestidos por preto fosco e grafites abstratos em cores que brilhavam no escuro. À direita, um balcão oval dividia o público dos garçons do bar, que serviam bebidas flamejantes, cuba-libre, vodka e cerveja. À esquerda, uma estrutura metálica com caixas de som era o posto do DJ que, sob uma plataforma a dois níveis acima do chão, comandava uma playlist de gosto eclético dos hits da época.

Normalmente a festa começava com axé – Terra Samba e Araketu –, depois seguia com funk do Claudinho e Buchecha ou Márcio e Goró. Entre um gênero e outro encaixava-se alguma eurodance de sucesso da novela das nove (Corona, Scatman John, Double You) e, lá pelas tantas da madrugada, rolava rock internacional com Red Hot Chili Peppers, Nirvana e Guns and Roses.

Como em toda boate que se preze, no centro do quadrilátero de dança havia o globo luminoso dependurado no teto. Ao girar, simulava uma constelação de minúsculas estrelas refletidas no rosto, braços e pernas do público heterogêneo formado por rapazes de gola pólo, mocinhas de vestido colado, hippies de boutique, caretas de toda espécie e adolescentes tardios de 35 anos. Além dos bastões de laser traçando linhas coloridas no espaço negro do ambiente, sob a luz estroboscópica parecia que todos dançavam em stop motion, como se cada movimento fosse fotografado por câmeras invisíveis.

Somado a explosão de luzes, a fumaça de gelo seco se misturava à fumaça de cigarro – sim, naquela época fumava-se em locais fechados – formando uma nuvem de neon branca cheirando a tabaco e perfume sobre as cabeças que, a certa hora, rodavam feito pião após a ingestão de muitos drinks.

Lá pelas três da madrugada, para aliviar os tímpanos latejando pelo batidão ou pegar ar puro depois da intoxicação involuntária por Gudang Garam e bafos de tequila, muitos iam para fora da boate e aglomeravam-se no beco de acesso à rua, em frente às bombas do posto de gasolina. Ali, casais recém-formados se beijavam enquanto outros resolviam pendengas de ciúmes, garotos de dezessete anos falavam sobre carros e pegações enquanto outros tateavam o muro para se manterem de pé. Na rua, a viatura da PM autuava engraçadinhos que saíam cantando pneus.

Evidentemente não se comparava aos inferninhos de Amsterdã, São Paulo ou Buenos Aires. Mas a Boate 3ª Dimensão preencheu a lacuna dos embalos esperafelicenses de sábado à noite ao trazer para a juventude interiorana, ainda que numa versão mais provinciana, os agitos de costume cosmopolita. Por isso marcou a época de uma geração inteira.

Tanto que no final das baladas, os que resistiam aos exageros da noitada na 3D eram os que pediam bis ao DJ e ao barman – os mesmos que hoje, depois de vinte anos, levam uma vida sossegada, têm trabalho e família e passam noites em claro só se for para cuidar dos filhos pequenos.

Por Farley Rocha.

Sobre Farley Rocha

Farley Rocha é professor, fã do Radiohead e do Seu Madruga. Já plantou uma árvore, escreveu um livro e edita o blog http://palavraleste.blogspot.com


Paulo Faria

Depressão: como eu lido com ela (e o que você deveria saber)

Você acorda, e a pior sensação é a de abrir os olhos. Você não entende o porquê de estar vivo. Você não quer estar vivo.

Cultura

Lançamento de “Uísque Barato”, novo single da banda Help Rock, de Espera Feliz

Num bate-papo descontraído, os integrantes da banda esperafelicense Help Rock falam sobre sua atuação na cena roqueira da região da Serra do Caparaó, projetos futuros e do lançamento de seu novo single, “Uísque Barato”.

Publieditorial

MGT SUPER TROCA desafia a concorrência com o melhor preço em troca de óleo, acessórios automotivos e baterias na região de Espera Feliz

Confira alguns preços: · Troca de óleo com filtro Fiat Uno e Palio Fire a partir de R$ 75,00; · Troca de óleo com filtro Onix a partir de 117,00; · Palhetas de Chuva a partir de R$ 10,00.

Arte

Colégio Portal do Saber apresenta IV Literando

Espetáculo enaltecerá a cultura nacional e o que cada região tem de único.

Farley Rocha

O forasteiro de primavera

Disposto a ganhar de assalto os espaços da cidade e impor a quem quer que fosse sua personalidade marcante, o forasteiro seguiu pela rua do centro...

Paulo Faria

Lula, o sociopata

O homem que se iguala a Jesus cristo, mas que ao sair da cadeia ignorou sua esposa, irmão e neto mortos, e que só gosta de cadáveres quando dá pra subir em cima para fazer comício, transformou a si mesmo num zumbi apodrecido que só consegue arrancar aplausos de plateias amestradas.

Acidente de trânsito

Motorista embriagado causa acidente no centro de Espera Feliz

Ele teria batido na traseira de outro veículo.

Cultura

Encenação da ‘Paixão de Cristo’ de 2020 será no Parque de Exposições

Além da mudança de local, evento trará atores de renome nacional e novas atrações para o público.

  • MARIA DE LURDES DA SILVA
    conhecido como DONA LURDES

    ✰20/04/1953     ✞08/12/2019

    O corpo está sendo velado no(a) CAPELA SAO VICENTE DE PAULA EM CAIANA e será sepultado às 16:00 horas do dia 09/12/2019 no cemitério SAO JOAO BATISTA, em CAIANA

  • Plano Assistencial Familiar Vida

    Rua João Alves de Barros, 277
    Centro - Espera Feliz - MG

    (32)3746-1431

    Plantões
    (32) 98414-4438 / (32) 98414-4440

Clique aqui e veja mais

Portal Espera Feliz